1  |  2  |  3  |  4  |  5  |  6  |  7  |  8  |  9  |  10  |  11

O fotógrafo Lucas Pietro foi até Brumadinho, em Minas Gerais, registrar o crime ambiental cometido pela mineradora Vale.

Enquanto a mídia, aos poucos, deixa para trás esse terrível marco na história do Brasil, confira uma seleção do trabalho de Lucas, acompanhada de comentários dele, sobre como foi visitar a cidade após o ocorrido.

“O clima na região do Parque das Cachoeiras era pesado. Todo mundo espantado com tudo… eles têm uma vida muito simples e de repente há helicópteros pousando na sua porta o tempo inteiro.”

“AS PESSOAS NÃO CONSEGUIAM SE OLHAR NOS OLHOS, PARA NÃO TER QUE ENCARAR A TRISTEZA UM DO OUTRO NA CIDADE; O ESTRAGO FOI GRANDE. MAS VAGAS PARA VOLUNTÁRIOS NÃO HAVIA MAIS, ERA GENTE QUALIFICADA DO BRASIL INTEIRO INDO PRA LÁ PRESTAR AJUDA.”

“Além do espanto, o sentimento era também de ódio pela Vale. Pelo desamparo! Falta de satisfação frente ao desespero do povo. O que tinha era um ou outro funcionário da empresa dando informações rasas, enquanto os voluntários eram quem de fato faziam o trabalho.”

JA

MAIS

“Eles, sim, estavam muito bem organizados. Tinha bastante gente abalada mentalmente, e eu via grupos de psicólogos voluntários indo de casa em casa.”

“A CIDADE ERA LINDA, CHEIA DE VALES VERDES, E NÓS NÃO PODEMOS DEIXAR ISSO ENTRAR PRO ESQUECIMENTO. ELES VÊM ATÉ AQUI, EXPLORAM A REGIÃO, DESTROEM AS NOSSAS MONTANHAS E NOS DEIXAM COM UM MAR DE LAMA, NO FINAL?”

“Por mais que eles já tenham anunciado algumas poucas medidas, e que a mídia já tenha encontrado outras tragédias para espetacularizar, o dano ambiental, emocional e psicológico de Brumadinho, nós jamais esqueceremos.”

FOTOS Lucas Pietro

DIAGRAMAÇÃO Vitor Fávero

1  |  2  |  3  |  4  |  5  |  6  |  7  |  8  |  9  |  10  |  11